The Da Vinci Code ★★★½

Teorias da conspiração sempre são assuntos que atraem a atenção das pessoas, elas mexem com nosso senso de desconfiança e de sempre nos questionar sobre as coisas. Quando isso se aplica sob uma das instituições que tem a fama de esconder e encobrir diversos segredos que nunca cairão no conhecimento do público em geral, ou apenas por enquanto, é praticamente impossível não ficarmos interessados sobre o que eles tem a falar. Apesar de não saber o quão absurda essa história é em questão de seus fatos, confesso que gostei da inventividade da trama.

Um filme de mistério não funciona se o mesmo não é bem construído e interessante, mas aqui somos pegos e forçados a acompanhar todos os detalhes do começo ao fim, para que possamos descobrir mais sobre essa possível verdade que está escondida de todos. Apesar de absurda, entendemos tudo o que nos é apresentado e tudo parece ser carregado de uma verdade devido a alguns truques utilizados para dar credibilidade às informações passadas.

O filme é excelentemente fotografado, com movimentos de câmera que transitam entre ambientes e andares com suavidade, o CGI ajuda muito nesse aspecto, ajudando a construir algumas dessas transições. Mas utilizado porcamente em alguns momentos, principalmente nos flashbacks, quando tem o propósito de dar uma característica visual para que o público se situe na linha temporal do filme, que as vezes pode ser necessário, mas o que foi criado aqui considerei desnecessário e completamente destoante da obra.

A trilha sonora é bem telegrafada e típica dos filmes do gênero, algo mais marcante teria feito muito bem a este longa. Todos os atores estão bem em seus papéis, com destaque para Paul Bettany que apresenta um personagem regado de insanidade e violência, seu olhar é amedrontador e seu tom de voz calmo esconde sua natureza explosiva e letal, de longe o melhor trabalho presente na obra. Tom Hanks tem carisma de sobra e carrega bem o filme, sem nada a ser elogiado, assim como Audrey Tautou que é uma boa atriz, mas que aqui fica muito apagada e limitada a uma personagem desinteressante.

Todos os personagens do filme possuem algum detalhe traumatizante em seus passados, mas nada é muito bem explorado, o uso dos flashbacks nos situam de suas situações, mas são pessimamente utilizados, são jogados na tela sem qualquer logicidade para seu uso ou demonstração de intenção de que eles irão ocorrer. Alguns diálogos também possuem esse defeito, sendo utilizados muitas vezes para fazer exposição e avançar a trama, não para acrescentá-la.

Apesar de possuir alguns altos e baixos, The Da Vinci Code é um bom filme de mistério, com uma linha bem delineada de causa e consequência que prende sua atenção durante toda sua duração. Com atores carismáticos em personagens desinteressantes e mal explorados, operante em sua direção e trilha sonora. Um bom entretenimento.

Nota: 7.0