Thoroughbreds ★★★½

Filmes costumam brincar muito com os nossos conceitos e certezas, e é sempre uma grata surpresa quando o mesmo consegue subvertê-las e nos surpreender com um ponto de vista que não teríamos normalmente com qualquer outra obra do gênero. E assim somos apresentados a duas jovens, Amanda e Lily, que logo de cara definimos suas personalidades e possíveis ações por base em pequenas observações e informações que nos são passadas, mas que futuramente serão abordadas de uma maneira completamente diferente.

Anya Taylor-Joy e Olivia Cooke são excelentes atrizes e possuem uma longa carreira pela frente e com certeza nos presentearão com ainda mais belas atuações, e aqui não o é diferente. Olivia se sai muito bem nos entregando uma personagem fria em sua expressão e que transmite muita curiosidade e dúvida apenas com seu olhar, além de um tom de voz ameno que reflete muito sobre sua personalidade. Por outro lado Anya tem em mãos uma personagem com mais facetas a serem exploradas, e a mesma o faz com perfeição, transitando muito bem de uma jovem perfeita e ideal, para um ser humano falho e cheio de imperfeições. Além de um elenco de apoio recheado de boas atuações e dedicação a seus respectivos papéis.

A cinematografia do filme também é belíssima, com muitas cenas esfumaçadas e um bom contraste de luz em certos ambientes. A câmera transita suavemente pela casa acompanhando seus personagens como se quisesse descobrir as coisas junto a eles. E assim o fazemos, o embate moral proposto pela obra é bem perspicaz, quem é o verdadeiro monstro ou vilão da história? Os momentos de interação entre as duas protagonistas são de longe os melhores do longa, e muito se pode tirar de suas conversas e palavras.

O ritmo do filme estava bem dosado em grande parte de sua duração, nada que estivesse me incomodando, mas faltou alguma substância a mais na história para que ela se mantivesse mais agitada. Muitas vezes somos pegos em momentos vazios e desinteressantes, além de certas situações que acontecem apenas para movimentar a trama de uma forma bem forçada, como a festa em que somos apresentados ao Tim, que é inserida no filme de uma forma bem inorgânica.

Thoroughbreds apesar de ser um filme com uma mensagem bem moralista e uma trama não muito movimentada, possui uma originalidade única e se prova uma experiência diferente e interessante. Com uma atmosfera inquieta e com boas atuações. Recomendo a todos que se interessarem.